jusbrasil.com.br
3 de Março de 2021
    Adicione tópicos

    OAB-BA se reúne com superintendente da PF na Bahia

    OAB - Seccional Bahia
    Publicado por OAB - Seccional Bahia
    ano passado

    Na tarde da última terça-feira (24), membros da Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB-BA e da Comissão de Dirteito Criminal da OAB-BA se reuniram com o supeintendente da Polícia Federal na Bahia, o delegado Daniel Justo Madruga, na sede da PF, em Salvador.

    Representaram a Ordem o presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas, Adriano Batista, a vice-presidente, Adriana Oliveira, o advogado Eltonclei Albergaria, e a presidente da Comissão de Dirteito Criminal da OAB-BA, Fernanda Ravazzano. Além do superintendente da PF na Bahia, participaram da reunião os delegados federais Fabio Mota Muniz (Delegado Regional Executivo) e Maurício Salim Sahade de Araujo (Corregedor Regional).

    No encontro foram tratados diversos pontos de interesse da advocacia, principalmente no que diz respeito ao acesso aos inquéritos policiais, o que ainda é objeto de reclamação por parte de alguns advogados.

    Adriana Oliveira sugeriu a criação de um canal que facilite o agendamento das visitas dos advogados, garantindo que na hora marcada o inquérito esteja disponível, sem prejuízo do cumprimento da Lei 8.906/94, que prevê o acesso, mesmo sem procuração e agendamento prévio.

    A ideia foi bem recebida pelo superintendente que prometeu estudar a viabilidade da proposta. Foi feito ainda um balanço das operações que envolvem busca e apreensão em escritórios de advocacia e prisões de advogados.

    De acordo com Adriano Batista, o encontro foi muito proveitoso, pois, apesar do relacionamento com a PF na Bahia ser o melhor possível, sempre há algo a ser melhorado. "O delegado Daniel Justo Madruga e toda a sua equipe estão totalmente abertos à cooperação e a novas ideias que tenham por objetivo a melhoria no atendimento e o respeito às prerrogativas da advocacia", disse.

    Fernanda Ravazzano pontuou que a Polícia Federal demonstra ter consciência de que policiais e advogados não estão em lados opostos, apenas tem papeis diferentes e que conseguem desempenhá-los com tranquilidade, quando a lei é observada.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)